Conheça os desafios da mídia no Brasil

Que vivemos na era da informação já não é novidade. São celulares, televisores, jornais, revistas e plataformas digitais que impactam diariamente os brasileiros. A indústria de comunicação e mídia no Brasil não para de crescer e demonstra que existe espaço para a convivência de diversas plataformas.

É claro que a expansão dos meios digitais parece não ter fim. E, quando tudo começou, havia quem acreditasse que o digital representaria o fim das mídias tradicionais. Ao longo dos anos, entretanto, os números demonstraram que essas mídias estavam bem longe de um ponto final.

A seguir, você confere mais sobre mídia tradicional e sua relevância no Brasil atual!

Números do consumo de mídia no Brasil

De acordo com o IBGE, existem cerca de 235,7 milhões de aparelhos celulares nas mãos de 138 milhões de brasileiros.

Em contrapartida, o Instituto também aponta que 89% da população é consumidora de rádio. Já um estudo divulgado pela EBC, revela que das 69 milhões de residências no Brasil, apenas 3% não tinham televisores, em 2016.

Ao lado do rádio, televisão e impresso, o OOH é um dos meios mais tradicionais de mídia de massa. E em 2018, o mercado cresceu 8,6% e ocupou a terceira colocação em investimento publicitário. E esse tipo de mídia conta com uma expectativa de crescimento médio anual de 3.9% até 2022.

Esses dados revelam que mesmo com o crescimento das plataformas digitais, a mídia tradicional consegue manter sua relevância ao longo dos anos.

Meios como OOH, jornais, revistas e televisão são mais imprescindíveis do que nunca. Isso graças à possibilidade de se integrar ao mobile e assim se tornarem também digitais.

Outros dados do Brasil sobre investimentos em mídia: rádio, TV e OOH

O Grupo de Mídia São Paulo divulgou que foram mais de R$ 3,9 bilhões em investimentos OOH em 2017.Já as informações do Jornal Valor demonstram que os investimentos em OOH cresceram em 2018. Os números pulam de R$ 3,9 bilhões para R$ 4,74 bilhões.

Já a TV aberta ainda é um dos meios tradicionais que mais oferecem retorno. Além disso, os números demonstram que, mesmo tendo acesso às mídias digitais, o brasileiro não abre mão de TV e rádio.

E isso é confirmado com dados. A pesquisa Dimension, divulgada pelo Kantar Ibope, revela que a cobertura de Rádio no Brasil chega a 91,9% da população. Desses, 95,5% prefere o rádio tradicional, enquanto a rádio web conta com 4,49%.

Entender esses dados é fundamental para confirmar a necessidade de diversificação dos investimentos de mídia de acordo com o público e a geografia.

Quais são os desafios da mídia atualmente?

O mais urgente desafio da mídia no Brasil do século XXI é a integração dos meios tradicionais com os digitais. Assim, omobile tem papel fundamental.

Por meio da geolocalização dos celulares é possível saber quais consumidores foram expostos a um outdoor ou qualquer outra mídia OOH, por exemplo. Esse mapeamento possibilita ações estratégicas no ambiente tradicional e no digital.

Além disso, a tecnologia da localização fornecida pelos celulares permite o conhecimento profundo do hábito do consumidor do mundo físico.

Outras integrações, como por exemplo, as versões digitais de jornais e revistas e rádio online também são capazes de oferecer dados estratégicos. Os assuntos que mais interessam ao consumidor e tempo de permanência são apenas alguns que permitem conhecer melhor o público e ter insights na criação de campanhas e conteúdos para marcas.

Quer ficar sempre por dentro das novidades e atualizações sobre o mercado de mídia? Acompanhe o site e as redes sociais da Publiset!

Deixe uma resposta