TV, aberta para seu negócio.

Com todas as novas estratégias de comunicação fragmentada de hoje em dia, muitos tentam inovar e buscar tentativas muitas vezes apenas “diferentes”, abrindo mão de algumas consolidadas técnicas de segmentação e exposição, que alguns conhecidos parceiros podem alcançar, algumas vezes com verba similar, e ficam apenas com “relatórios de alcance” ROI,  segmentação X, Y e Z…

Aqui nesse espaço buscamos te mostrar como uma estratégia de mídia bem elaborada, usando meios, e parceiros off-line com resultados comprovados podem, na medida correta, impulsionar seus resultados.

Hoje vamos abordar a TV.

Planejamento eficaz de mídia tem que ter TV

Presente praticamente na casa de toda população brasileira, e não mais apenas na sala. Não é por outro motivo que as agências de publicidade ainda indicam a programação do prime time, que começa às 18h e se estende até 21h30, para que marcas, produtos e serviços marquem presença junto ao público.

A penetração, com o uso adequado da frequência, garante o conhecimento dos conteúdos das marcas pelos consumidores. Isso ocorre, pois, as TVs são as maiores produtoras de conteúdo, esse diferencial é vital para sua diferenciação. O telespectador busca na novela, no futebol, nos filmes, nos humorísticos e no jornalismo aquilo que só um grande gerador de conteúdo pode oferecer.

A TV aberta une a família. É em torno dela que pai e filho assistem a uma partida de futebol juntos. Na hora do jantar, os jornais são um cenário que ajuda inclusive no fomento das discussões do dia a dia.

Segunda tela que colabora.

O fenômeno da segunda tela que a TV vive hoje parece irreversível. Os smartphones, tablets e desktops permitem o acesso à programação das emissoras, quando se perde um programa, há o aplicativo na palma da mão para conferir o capítulo on demand.

Todas as emissoras disponibilizam sua grade através de aplicativos. A segunda tela multiplicou o alcance das TVs. Só as emissoras abertas concentram acima de 53% do investimento em publicidade no Brasil, que em 2017 foi de R$ 134 bilhões brutos, segundo a pesquisa do Kantar Ibope Media. Também foi constatado o número de 18 bilhões de impressões no Twitter por mês na busca por TV aberta, já o YouTube recebe cerca de 1 bilhão de visitas para sua audiência assistir programas do SBT. Recorde mundial da emissora.

Eduardo Becker, executivo da Rede Globo, que cuida da comercialização das mídias digitais, ressalta:

“Produzimos conteúdo de qualidade para múltiplas plataformas, que é oferecido ao público como, onde e quando ele quiser. Isso amplia nossas oportunidades de impactar o consumidor. Portanto, oferecemos aos anunciantes ainda mais alternativas de associar suas marcas aos nossos produtos. Conhecemos as características da TV e do digital, o que nos dá a possibilidade de transitar entre os dois ambientes, aproveitando o melhor de cada meio. Entendendo a necessidade e respeitando a característica de cada plataforma, levamos ao cliente a melhor solução. É essa forma de trabalhar que garante, nas soluções encontradas, a complementariedade entre os dois universos”.

Estratégia especializada é aqui.

Como você viu, a TV aberta democratiza a audiência, possibilitando assim que os sonhos de consumo ainda sejam perseguidos, e mesmo hoje com as mais variadas opções de lugares para se assistir, não dá pra ficar sem ela…

E nós, da Publiset estamos aqui pra te ajudar a contar com esse importante aliado na sua estratégia.

De comunicação offline nós entendemos, com a gente a sua verba de publicidade vale mais!

Na hora de decisão, vá no certo! Publicidade é nosso DNA

#SOMOSPUBLISET

Deixe uma resposta

A Publiset facilita a veiculação, o planejamento estratégico e a performance de mídia offline, tudo isso em um lugar só. Assine as newsletter semanais e fique por dentro de todas novidades.