A evolução do live marketing

live-marketing-

Que a relação dos consumidores com as marcas mudou é mais do que óbvio. Hoje, não é suficiente que um produto ofereça qualidade a um preço acessível: o que as pessoas buscam, cada vez mais, é experiência e inovação. E foi dessa necessidade que nasceu o live marketing.

Definido como “marketing ao vivo”, o live marketing sai na frente ao oferecer mais uma oportunidade de engajamento do público, que pode evoluir de mero consumidor a advogado da marca.

Quer saber mais sobre esse conceito e como aplicá-lo na prática? Confira ao longo do texto!

Um pouco do live marketing no Brasil

No mercado brasileiro, o termo live marketing é relativamente novo. Lançado em 2013, no Anuário Brasileiro de Live Marketing (pelo Promoview, um dos principais portais especializados no assunto), o termo dá nome às ações que envolvem e engajam o consumidor.

Enquanto nos anos 80 havia o BTL (Bellow The Line) e nos anos 90, o marketing promocional tradicional, hoje, há o live marketing. Enquanto as práticas dos anos 80 e 90 podem ser entendidas como estratégias que visavam fidelizar clientes utilizando ofertas e incentivos, o marketing ao vivo vai além.

Segundo a Associação de Marketing Promocional (Ampro), a concepção inovadora do  veio para consolidar a trajetória evolutiva do marketing promocional.

Dessa forma, o live marketing estrutura ações mais profundas, que proporcionam uma compreensão diferenciada, especialmente por meio de experiências sensoriais. As ações visam, especialmente, a criação de conexão emocional para fidelizar e influenciar a decisão da compra.

Por isso, valem interações, produtos e serviços diferenciados criados por determinada marca a fim de gerar resultados imediatos. Com o passar dos anos a necessidade de marcar o consumidor e criar experiências inesquecíveis foi sendo percebida pelas grandes corporações.

A prática tem sido cada vez mais utilizada por marcas que visam a criar vínculo com seus seguidores. Assim, o levantamento de 2016 da Ampro revelou uma movimentação de R$ 43,9 bilhões anuais para o mercado do live marketing no Brasil.

E essas ações criadas ao vivo e a cores (por isso são chamadas de “live”, ao vivo, em inglês), não oferecem chances de reparar eventuais falhas e nem possibilidades de compensações. Não existe espaço para pedir uma segunda chance ao cliente.

Live marketing na prática

Resultado de campanhas de interação direta com os clientes, o live marketing pode envolver, dentre outras:

  • Ações promocionais (ofertas, liquidações, brindes, degustação, amostras grátis, distribuições gratuitas de prêmios);
  • Criação (ou participação ativa) de eventos, feiras e congressos;
  • Ativações de marca e endomarketing;
  • Ações de merchandising;
  • Ações digitais em mídias sociais e aplicativos.

Um dos maiores exemplos de marketing visionário e bem feito é a Coca-Cola, cuja construção da própria marca é baseada em experiência. A preocupação evidente com o engajamento e identificação com seu público são fatores essenciais para os valores da empresa.

live-marketing-1
Aprenda um pouco sobre a evolução do live marketing, também conhecido como “marketing ao vivo”

Possibilidades criativas para o futuro do live marketing

Experiências únicas, vídeos, geomarketing, além da valorização do real time representado pelos smartphones são elementos básicos para um marketing ao vivo de qualidade. Mas já que inovação e capacidade de pensar fora da caixa fazem toda a diferença na comunicação, vale a pena investir em três tendências que podem revolucionar o live marketing:

  • Inteligência artificial

Reconhecimento facial, softwares para experiências de imersão e resposta a dúvidas em plataformas online, por meio de chatbots, são algumas das novidades que o uso de inteligência artificial pode criar.

  • Realidade virtual e realidade aumentada

Levar o cliente para uma realidade paralela, por meio de óculos 3D e outros equipamentos é uma novidade interessante que algumas marcas já realizaram, importadas do universos de games e tecnologia.

  • Geração de valor e experiências únicas

Especialmente em eventos, o público pode ser parte do ambiente. Interatividade, experiências únicas e transformadoras e plataformas diferenciadas levam o consumidor a propagar a mensagem da marca e advogar em favor dela.

Assim, além da melhoria da imagem e óbvia rentabilidade, investir em ações de marketing ao vivo resulta em clara transformação positiva no relacionamento com o consumidor.

Qual a sua opinião sobre o live marketing e o futuro das ações de comunicação? Conte para nós nos comentários!

Acompanhe o site e redes sociais da Publiset para novidades e discussões sobre o acelerado mundo do marketing e ações de mídia!

Deixe uma resposta